Buraco Azul de Dahab, Egito


Não podemos negar que os Oceanos do Mundo são realmente lindos e fantásticos, mas precisamos lembrar também que eles podem ser terrivelmente mortais! Se você estiver viajando pelo Egito, certamente será encorajado a conhecer o Buraco Azul de Dahab, na península triangular do Sinai, na costa do Mar Vermelho. Trata-se de um dos locais de mergulho mais belos do mundo, porém, um dos mais perigosos também. Confira.


Buraco Azul de Dahab, Mar Vermelho



Buraco Azul é o nome que se dá a cavernas verticais subaquáticas que se revelam verdadeiros sumidouros naturais. Sumidouros são aberturas naturais que se comunicam com uma rede de galerias e através da qual a água adentra o subsolo. Entre os buracos azuis mais famosos estão o Buraco Azul de Dahab (Egito), o Grande Buraco Azul (Belize, perto do México), e o Dean's Blue Hole (Bahamas), este último sendo o mais profundo. 

O Buraco Azul de Dahab possui cerca de 110 metros de profundidade e 150 metros de largura, com uma abertura rasa de cerca de 7 metros de profundidade, conhecida como "a sela", que se abre para o mar. A foto a seguir mostra um possível trajeto de mergulho por dentro dos arcos e "sinos" do sumidouro. O buraco e a área circundante possui grande abundância de corais e peixes de recife.


Carinhosamente chamado de "cemitério do mergulhador", alguns veem o buraco como uma espécie de armadilha para mergulhadores pela facilidade que existe em se perder por seus túneis. Um túnel conectando a caverna com o mar aberto encontra-se a 52 metros, bem abaixo do limite recomendado de 40 metros de profundidade. Isto é particularmente perigoso por causa da narcose do nitrogênio, que cria uma sensação de dormência, semelhante ao efeito do álcool, e ocorre a cerca de 30 metros da superfície e só aumenta enquanto você vai mais a fundo. Muitos acidentes aconteceram com mergulhadores que tentaram encontrar "O Arco" através dos recifes (veja no mapa que a entrada mais segura é "El Bells" e "O Arco" fica a 26 metros de profundidade). Outros mergulhadores se perderam tentando encontrar "A Saída" do buraco para o mar aberto: perdidos, eles continuaram descendo, na esperança de encontrar o túnel mais abaixo e acabaram ainda mais narcosados pelo nitrogênio. A maioria das mortes foram do sexo masculino, de modo que uma guia de mergulho local disse, em tom de brincadeira, que "a substância mais perigosa do Buraco Azul é a testosterona", referindo-se ao desejo masculino para desafiar riscos. Somente mergulhadores experientes e com permissão para tais mergulhos podem fazer o trajeto de exploração. 

Cerca de 40 mortes já foram registradas no local, desde que começaram as contagens. Uma das mortes mais notáveis, entre tantas do lugar, foi a do instrutor de mergulho israelo-russo, Yuri Lipski, pouco abaixo de 100 metros. Nesta profundidade, o corpo está sujeito à narcose por nitrogênio, que pode causar estragos na mente do mergulhador pelo excesso de confiança, induzindo à euforia, alucinações, confusão espacial e julgamento prejudicado. Lipski levou apenas um tanque de ar, quando mergulhadores técnicos costumam levar tanques extras com uma combinação de oxigênio, nitrogênio e hélio, para diminuir os efeitos da narcose. Quando desceram para recuperar o corpo de Lipski, a pedido de seus pais, fizeram uma descoberta desconcertante: as imagens capturadas pela câmera do capacete de Lipski ainda estavam intactas. Ele teria gravado sua própria morte. Este vídeo está disponível no YouTube sob a legenda de "Fatal diving accident caught on tape: Yuri Lipski". Se quiser visualizá-lo, CLIQUE AQUI

Yuri Lipski
A foto ilustra onde aproximadamente Yuri foi encontrado.
Modo como o corpo de Yuri foi encontrado
Existe uma lenda local de que o lugar é assombrado pelo fantasma de uma menina que se afogou ali para escapar de um casamento arranjado. 

Agora, confira algumas fotos deste lugar incrível!
















Espero que tenham gostado. Eu adoraria mergulhar em um lugar como este, tanto pelo fascínio das histórias como pelo lugar propriamente dito.